sexta-feira, agosto 26, 2011

Depressa

É incrível, mas a gente esquece como as coisas são ou sempre foram. Tanta violência gratuita a troco de poucas linhas. Uma dificuldade para resolver qualquer assunto. Questões que seriam solucionadas tão mais facilmente de outras formas... Enfim, tanta energia gasta por causa de coisas pequenas, que ficariam melhor se as pessoas se tratassem mais ou menos dignamente. Resta tentar rir e gozar. E lembrar: não, não é assim que as coisas tem de ser. E ainda pensar: sim, investe em criar as alternativas, depressa.

terça-feira, julho 26, 2011

tudo pela frente

A ânsia de liberdade promove sempre o nosso reencontro. Cá estamos outra vez neste barco, tantas vezes encalhado por vontade própria, no meio do oceano dos sentimentos.
Cá estamos nós, de novo sem correntes, sem nada que nos prenda, com tudo pela frente.

terça-feira, maio 26, 2009

Jogo

Conheço tanta gente que não me conhece

terça-feira, maio 05, 2009

mudo

meus olhos
no teu olhar
vontade de mudança
andanças, travessias
dias
horas passam
na noite longa, de segundos arrastados
isso muda
mudo eu ou o mundo ou tu
silêncio não é paz

terça-feira, janeiro 13, 2009

Há coisas que só passando por elas se entendem

Ela é linda de morrer. Agora entendo bem a expressão: linda de morrer.
Fui perguntar coisas sobre crédito. Nunca tive tanto prazer nisso. Foi a segunda vez em dois dias. Aliás, pondero ir ao Banco todos os dias, questionar montes de situações.
As perguntas dela foram procedimentais, mas senti um friozinho e fiquei sem saber para onde olhar quando ela perguntou a minha idade e se eu era solteiro. Fiquei, fico e ficarei inebriado a olhar os olhos dela, tanto olhando para o computador, como para mim (esta segunda situação foi complicadíssima - pensei que ia dizer qualquer coisa acerca da sua intensa beleza, mesmo que sem querer).
Na verdade, queria que ela tivesse a seguir perguntado sobre se eu queria me casar com ela, ou se eu queria ir tomar café com ela ou ir dormir na casa dela (na cama dela, ou até podia ser no sofá da sala) ou qualquer coisa onde ela estaria metida. Diria que sim a tudo. Podia até ser o motorista dela.
Mas não. Só me disse o valor da prestação a pagar. E disse, que se for preciso me encaminha os papéis para a sede, só que assim demora mais. Tomara que demore e eu tenha de ir lá muitas vezes.

segunda-feira, agosto 25, 2008

Contar de novo

Os mais importantes demoram. Têm de contar outra vez a conferência que deram, para alguns que vêm perguntar dúvidas e expor o facto de não terem percebido nada.

Almoços grátis

Saem todos para o almoço.
Todos têm fome de almoços grátis, mas ninguém quer admitir.

Subalterno convidado

Nunca um convidado, ainda que subalterno, deve ir abastecer depósito de gasolina do carro do dono.
Never.
Assim o fiz.

quarta-feira, agosto 20, 2008

Cobranças

A cobrança não só mata o amor.
Destrói-o, esquarteja-o, sem dó nem piedade. Não sobra nada para contar história.
É devastador.

segunda-feira, junho 09, 2008

Aparição

Apareces.
E só este motivo é suficiente para eu regressar à escrita nesta página.
Trazes o sol contigo, aqueces tudo em volta. Trazes aquela força, a minha, que tu possuis.
Sinto-me diferente, absolutamente novo, pronto para enfrentar o mundo.
Só por umas horas. É certo, é pena. Não sei se é pena.
Não sei.
Contigo o tempo também pára e os questionamentos são mandados pela janela. Tudo passa a ser possível.
Tudo.
Até o regresso à esta página, onde o que tenho guardado em mim passa para o primeiro plano.
Na verdade, tu também és isso. Mesmo sem tu saberes, tiras o que tenho guardado mais no fundo de mim, o mais autêntico, o mais elementar, o que nem eu sei que tenho.

terça-feira, julho 17, 2007

Tranquilo

Desta vez estou absolutamente de consciência tranquila.
Porém, pode ser que receba ataques.
Vou ter de me defender, mas acho que estou escudado.

quinta-feira, julho 12, 2007

Vai à tua vida

É uma pena que eu tenha de regressar aqui vez por outra para deixar o meu desabafo.
Mas a tipa sempre, sempre, sempre faz isso.
E depois deixa-me aqui, sozinho, sem saber o que fazer.
Deixa-me para trás e pronto. Nada parece ser com ela.
E tudo depende dela.
Por enquanto.

quarta-feira, julho 11, 2007

terça-feira, junho 19, 2007

ELPSPT

Aqui fica a minha homenagem à Epiphone Les Paul Standard Plain Top que mudou a minha vida, revigorou o meu gosto pela música e me está a transformar outra vez em músico.
Agora tenho de dar mais passos mas não sei em que direcção.

30 já

Junho já com 30 para calar a minha crítica e intolerância comigo próprio.

Em alemão

"(...) Fortsetzung des Kampfes gegen Diskriminierung und für die Regularisierung der Migrant/inn/en in irregulärer Situation (...)".

Mar

Hoje deixei em grande estado de nervos alguém com quem já trabalhei.
Nunca estivemos juntos naquele barco, apesar de na altura eu empenhar-me com tudo o que tinha na tentativa de conduzi-lo.
E conduzi-o bem, era um timoneiro credenciado e reconhecido (se bem que mais a posteriori, quando souberam que eu os iria deixar - na altura nunca me convidaram para Comandante).
É, fui para outros barcos, mas os nossos caminhos irão sempre se cruzar. Espero que nunca na batalha, mas sim em trocas e negociações. As convergências, raras, jamais serão profundas.
Quero, no entanto, partilhar convosco a aflição que me dá quando nos cruzamos e quase colidimos. Mas a maior de todos os costrangimentos é ver este alguém, conversar com ele e fingir que não sei quais os caminhos que ele pretende percorrer e qual a maneira de condução do barco.
E é ainda mais aflitivo pensar que o caminho não é o correcto, mas saber que o timoneiro já tem um mapa delineado e que nada pode fazer quanto a isso.
Coitado dele.

Nervura

Fiquei muito impressionado com os meus nervos na apresentação musical de Sábado.
Mas por outro lado foi bom lembrar-me da sensação do nervoso graúdo (e não miudinho) que se apodera de nós em certas ocasiões e que quase leva ao colapso do nosso corpo.
Cumpri, mas dominado pelos nervos.

Música

Só para dar aqui umas notas:
Ré, Sol, Fá, Mi.

sexta-feira, junho 15, 2007

Metallica - Master of Puppets

Outra música cuja introdução aprendi em minha aula de guitarra é a Master of Puppets, do Metallica.
A foto ao lado é reveladora da minha actual apetência e respeito pelas guitarras Gibson. Olho para elas com outros olhos, desde o momento em que comprei a minha Epiphone Les Paul.
O Metallica vem a Lisboa animar o Super Bock Super Rock. Ainda não decidi se irei visitá-los.

quarta-feira, junho 13, 2007

Santa jornalistação

Agora, contra jornalistas é sério o negócio.
Nunca, a não ser a partir do século XX, qualquer santo se deixou entrevistar por jornalistas.
Recordo o Concílio do Vaticano XV realizado em Pádua no ano de 1234, no qual o Papa Luccino Caronte ditou:
"Jornalistum infestatum Eclesia santificatum desligarum gravetarus anti missae", ou seja, "Os jornalistas que infestam a Igreja serão santificados se desligarem os gravadores antes da missa".
Ok, já sei que vão dizer que não é verdade! Pode ser que "santificação" seja um pouco exagerada. Acho que isso deve ser interpretado à luz da época - devia ser uma espécie de tolerância.

Santa qualquer coisa

O post anterior não representa qualquer trocadilho com a Santa Inquisição.
Nunca faria um trocadilho tão grave como este, ainda por cima na época do Santo António.
Até porque assim o Santo António não viria de certeza hoje a Alfama.
E o Santo António não tem nada a ver com a Santa Inquisição - garantiram-me de fonte segura.

Santa discrição

Se o Santo António aparecer amanhã esta será com certeza a notícia de abertura de todos os telejornais, em Portugal e no mundo.
Acho que ele não aparecerá. Os Santos são discretos e têm pavor a jornalistas.

Sardinhada

Ontem, o meu Santo António foi sem sardinhas - incrível a banca dizer "não há mais sardinhas" às 23:00. Foi comer chouriço, salada e pão no Castelo. Bom igual.
Hoje me vingo: sardinhas em Alfama, só que sem a companhia do Santo António. Ou sim, com a companhia dele, se ele quiser aparecer.

103

Entretanto, já cheguei aos 100 posts!
Este é centésimo terceiro!
Aí está um "double deck" com o número 103.
Parece este blogue - um autocarro com dois pisos de ideias.

terça-feira, junho 12, 2007

Procura


A foto é de © Liz Highleyman / Independent Media Center
Se procurar uma vida melhor é um crime, então eu sou um criminoso!
Este é um dos meus primeiros posts que fala expressamente sobre imigração, se não o primeiro. Das outras vezes que falei, escondi a imigração nas palavras.
Este assunto que me é tão caro.

Santo António


E hoje é dia de santos populares!
O tempo que demorou até eu descobrir este dia absolutamente imperdível de Lisboa!
O dia de Santo António!
E dá-lhe sardinhas, chouriço, vinho, muita diversão e amor!

Guns and Roses - Knockin' on Heaven's Door


Outro post "interesseiro".
Os Guns and Roses tocam esta bela "Knockin' on heaven's door" que aprendi o primeiro solo nas minhas aulas de guitarra.

Hangar 18 - Megadeth


Aqui está um post interesseiro: é que estou aprendendo a introdução desta música em minhas aulas de guitarra.
Interesseiro até ali, porque a música, apesar de velhinha, é muito boa.

Lugar aos mestres: John Petrucci


Já fui vê-lo por duas vezes: num Workshop na Aula Magna e num concerto de Dream Theater na anteriormente chamada Praça Sony.
Agora quero ir vê-lo ao Porto, já tenho bilhete e tudo.
Aqui fica a excelente Glasgow Kiss.

segunda-feira, junho 11, 2007

Guitarra, trabalho e injustiças

Na minha aula de guitarra há alguns dias atrás, todos falando sobre férias.
E eu ouvindo.
Logo eu, que só terei férias em Agosto e que ainda tenho muito a trabalhar até lá.
Logo eu, que trabalho num lugar em que as pessoas pensam que ninguém faz nada.

Lx de sol

Lx cheia de sol.
Vejo da minha janela.
Na frente de meus olhos este ecran.
Vou dominar o desejo de passar a tarde inteira enchendo o meu blogue de posts e passar o trabalho assíduo.

Por isso estou aqui...

Os posts "ventilar o calor", "viva o desporto", "bases" e "cast away" são pequenas sínteses da importância de eu estar aqui neste novo blog, enchendo páginas com assuntos sem qualquer interesse mas que para mim tem grande valor.

Ventilar o calor

No dia 8 de Junho liguei o ventilador pela primeira vez em 2007.
Para além do refrescar, gosto infinitamente de dormir com o barulho do ventilador. Me hipnotiza num sono avassalador e sem comparação.
Se tiver jogado futebol no dia anterior então!

Viva o desporto!

Preciso, desesperadamente, jogar bola.
Acho que preciso que o meu corpo fique cheio dos químicos e efeitos físicos que são criados pelo futebol. Tem imediatos reflexos em minha produção no trabalho.
Podem ser outros esportes: ténis, corrida e natação também contam.

Bases

Queria fazer da música o pilar onde assenta o meu ser.

sábado, junho 09, 2007

Cast away

Minha mãe foi viajar durante 6 meses.
Disse-me: meu filho cuidado com o teu aspecto físico.
Acho que estou bonito, sem problemas de roupa e com uma barba feita.
Verdade ou mentira?

sexta-feira, junho 08, 2007

Stevie in Lx

O mago estará no dia 10 de Julho em Lisboa.
Irei vê-lo pela terceira vez.
Aqui fica a fantástica Die to live!

quinta-feira, junho 07, 2007

Merecido

Quem se mata de trabalhar merece mesmo morrer...
Millor Fernandes
Relacionado com o meu comportamento que deu cabo do meu olho.

Poema contemporâneo

Os políticos brincam e jogam.
As populações sofrem e padecem.
Autor: Confli Toisra "El oarabe".

quarta-feira, junho 06, 2007

Estabilidade

Actualmente, a palavra chave é a consolidação.

sexta-feira, junho 01, 2007

Trinta

Afinal em Maio não consegui escrever 54 posts.
Fiquei-me pelos 30, o que não é mau.

quinta-feira, maio 31, 2007

Adv-Jur

Agora, por opção pessoal e motivos profissionais, já não sou um Dr. Advogado, mas sim um Jurista.
Que diferente é isto.

Basta!

O nosso corpo arranja diversas formas de dizer "basta!".
Foi isso que me aconteceu esta semana.
Meu olho fez uma greve que afectou todo o meu (sobre) rendimento.
Agradeço a ele por chamar a minha atenção.
Eu estava exagerando mesmo.

terça-feira, maio 29, 2007

Dúvidas e questões

Todas as perguntas do mundo, todas as dúvidas, todas as cautelas, todos os problemas, queria deitá-los dentro de um baú, cobri-lo de cimento e mandá-lo para o fundo do mar.
O mar não sei se merecia, por causa da possibilidade do baú se abrir e poluir tudo em volta. Imaginem-nos bebendo águas poluídas de dúvidas! Seria ainda pior para a nossa civilização que já se encontra perdida.
Mas poderia meter-se o baú num foguete e mandá-lo para Marte.
Não haveria qualquer problema, já que o universo, tal como a nossa existência, é algo que não conseguimos explicar.

Qual o preço?

Mas é super dificil não se deixar acorrentar.
A vida de quem se deixa acorrentar ou se deixa levar na onda é muito mais fácil.
Porém, a que preço?

Correntes

É necessário um grande esforço para isso, mas nunca deixe de ser quem você é simplesmente porque querem meter na sua cabeça que você deve ser diferente.
Não se deixe acorrentar.

segunda-feira, maio 28, 2007

Reencontro

Reencontrei no Audiocity um meu eu quase perdido.
Passei as partes livres do fim de semana gravando.
Gravei "Meu Erro" do Paralamas do Sucesso em 3 guitarras e voz, "Paciência" do Lenine em 3 guitarras e voz e "Eu sei" da Legião Urbana em 2 guitarras e voz.
Modéstia à parte, acho que ficou bom. E não está concluído o trabalho.
Foi bom me reencontrar com esta parte musical do meu eu. Espero que um dia ou em outra vida seja esta a minha parte que predomine.

sexta-feira, maio 25, 2007

Batalhão III em Terracane

Iacobus está outra vez com alguma confiança, após a dura batalha nas fronteiras de Terracane.
Sabe, no entanto, que esta batalha foi ganha por causa do consistente batalhão III. Nem o I, nem sequer o II, teriam consistência para esta batalha que foi hostil e severa, onde as dúvidas sobre se retirar ou não assaltam os soldados.
Iacobus está contente. Ter lutado nesta frente com o batalhão III e não com o VIII (o habitual daquela região) constituiu uma boa opção. Por outro lado, este batalhão lutou com uma força nunca vista, e acabou por contribuir para moral do resto dos batalhões, especialmente, para o batalhão VIII - o que é importantíssimo, pois, por razões logísticas, tal batalhão não se poderá retirar daquela região tão conflituosa.
Berle, o Mago conselheiro de Iacobus

quinta-feira, maio 24, 2007

Regiões lodosas

Parece que hoje saí do lodo.
E saí.

terça-feira, maio 22, 2007

Farto de palhaçadas

Às vezes nos sentimos como o batedor que é abandonado na frente de batalha.
Não lhe avisam que estão retirando e deixam-no só lá no meio das linhas inimigas.
Se ele retira, perguntarão porque ele não manteve o posto avançado. Se ele se atrasa pondo as bombas, dirão que elas são desnecessárias.
Mas tudo vem sempre depois. Depois de tentar, depois de se mexer, depois de retirar.
Todos tem a sua opinião depois das coisas acontecerem. Todos se omitem durante a guerra propriamente dita.
Um dia vou-me embora do front e pronto. Aguentem-se com outros.

Voltamos

Voltamos a estar juntos, ainda que não o estejamos presencialmente.
Voltamos a sonhar planos.

É a hora

Está na hora de mudar!

segunda-feira, maio 21, 2007

Desafios que se irão ultrapassar

Hoje será um dia pautado por conseguir ultrapassar desafios.
É o que espero, sinceramente, e irei me empenhar neste sentido.

terça-feira, maio 15, 2007

Abaixo o amor platónico

Tenho de ir rapidamente para o campo de batalha porque odeio esta história de paixões platónicas.
Ui como detesto.

Batalha

O gládio penetrou fundo no meu peito.
Fez bons estragos.
Mas vou para o campo de batalha e não para o hospital.

segunda-feira, maio 14, 2007

Gládio de prata

Às vezes encontramos pessoas da qual somos tão íntimos sem saber porquê.
Neste caso até sei porquê. Porém, esta razão não deveria ser suficientemente forte para me causar o tremor (bom) que senti. A vontade de falar-lhe foi semeada, ainda que sem brotar. Florirá.
A razão para saber da sua existência data de 13 anos. O fundamento é tão fugaz como um sopro.
Mas olhando para os seus olhos entendi que nos conhecemos tanto, mesmo sem o saber. Parece que tivemos uma vivência de costas voltadas, mas sempre nos dedicando mutuamente nas diversas fases de nossas vidas.
Não sei explicar, um novo sentimento se está apropriando do meu cérebro. Vou procurá-la, encontrá-la e me apropriarei dela também. É a vingança por este golpe no coração, com este gládio de prata lavado em água de rosas.

sexta-feira, maio 11, 2007

Tranquilidade

E o melhor de tudo no meio disto é ter a consciência tranquila de quem não contribuiu para uma injustiça, um teatro e uma palhaçada.
O tempo nos dará razão hcllmtbmbgfm.

Luta

Não é que sejamos mais fortes quando estamos em grupo.
É que lutar sozinho é quase impossível.

A viragem

Parece que não conseguiram.
Pode ser fogo de palha. Porém, recebi palavras de solidariedade, tardias, mas que chegaram.
Finalmente.
Chego a emocionar-me quando recebo estas palavras.

Não irão conseguir!

Não irão conseguir!

Cabo das Tormentas

Acho que estou cruzando o Cabo das Tormentas.
Mas tenho esperança de que conseguirei ultrapassá-lo. Estou sofrendo um pouco, isto tudo dói, é necessário ter alguma capacidade de sofrimento.
Dentro de 7 dias saberei se o ultrapassei ou não.

quinta-feira, maio 10, 2007

Sprint

Quero que estes próximos dias passem depressa e bem.
Quero mesmo. Quero distanciar-me rapidamente desta data.
Farei um sprint o mais rápido que puder. Como quero ir para longe.
Faço o melhor que posso, mas as pessoas às vezes tentam me deixar na mão.
Não irão conseguir!

terça-feira, maio 08, 2007

Mensageiros

Randalk Mäss, o general sem leis ou regras, dentro de pouco tempo estará as portas de nossa cidade, se Cornagae cair às suas mãos.
Como fazer para detê-los?
Se ao menos os mensageiros que mandei a Titudate chegassem depressa para termos a certeza de que poderemos ter reforços.
Os mensageiros tardam.
Que a esperança não nos abandone.
Iacobus Noibinis, o chefe perdido entre os bárbaros

segunda-feira, maio 07, 2007

Fronteiras de ideias

Estamos formando soldados, arqueiros e cavaleiros à pressa.
Nossa população, nossa cidade, sempre foi uma cidade civil. O que sabemos fazer aqui é cerâmica e mosaicos!
Agora, andamos a fazer escudos e espadas, com o pouco ferro que (não) temos! Nós, que sempre nos recusamos a enviar soldados para as guerras além fronteiras!
Iacobus Noibinis, o chefe perdido entre os bárbaros

A chegada

Raras vezes nos sentimos ameaçados aqui.
Foram gerações seguidas de paz. O meu avô rir-se-ia das paliçadas e muros que ansiamos erguer...
Eles vieram e trazem consigo o lastro negro da destruição sem piedade.
Viu-se o que fizeram na chegada.
Iacobus Noibinis, o chefe perdido entre os bárbaros

Simodinos em Cornagae

A sul, a guarnição não está sólida.
A norte, conseguimos montar uma paliçada de enorme porte, em tempo recorde.
Eles já assentaram perto de Cornagae. E em Cornagae já se encontram em dificuldades. Lá, onde já tivemos tantas vitórias...
Queria mandar imediatamente um destacamento, mas não penso que seja uma medida racional.
Mas irei deixá-los nas mãos dos simodinos sem fazer nada?
Iacobus Noibinis, o chefe perdido entre os bárbaros

Metas

Cinquenta e sete metas fixei.
Noventa e nove já ultrapassei.
Mas se é assim, se já as cumpri, porque me parece que ainda não cheguei à metade do caminho?
Iacobus Noibinis, o chefe perdido entre os bárbaros

Unha negra

É engraçado quando, por uma unha negra, nos damos conta que podíamos ter dado um enorme tombo.
Mas apercebi-me a tempo - que bom.

sexta-feira, maio 04, 2007

Todinhazinha

Ao invés desta agenda tão patética de hoje, o que eu queria era passar a tarde todinhazinha tocando guitarra.

Tempo pa net - 2.ª parte

Aliás, quero regressar depressa com posts, para manter a média brutalmente positiva do passado mês - 54 postagens!

Tempo pa net

Fazem dias que não escrevo, mas ainda sei escrever.
Vejam:
Olá amigos!
Ainda sei escrever! Ainda sei escrever! Ainda sei escrever!
Falta-me o tempo. Mas regressarei ainda hoje à internet.

segunda-feira, abril 30, 2007

Trabalhadores uni-vos!

Segunda-Feira véspera de 1º de Maio.
Quase tudo dito.

Descanso na falta

Durante 180 dias, a progenitora deixou a sua cria e foi para outras paragens.
Ambas sentem a falta uma da outra, mas ambas descansam.

O meio do caminho

Dar-nos conta da quantidade de coisas que deixamos passar nas nossas vidas, por causa do dinheiro.
Percebermos que não fazemos outra coisa porque teríamos de começar desde o princípio. A determinada idade já enveredamos por um caminho que provavelmente, se voltarmos atrás à procura de outro, nos perdemos numa vereda qualquer.

sexta-feira, abril 27, 2007

Escada caindo

Quem cai da escada se machuca como gente grande.
Não quero isso para mim.

Despojos

No fundo da habitação inacabada, encontrei o meu lar, entre os despojos do que não existia.

25 de Abril!

25 de Abril sempre.
Fascismo, racismo e Cavaco Silva nunca mais.

Sul América

Finalmente chegamos à América Latina com alguma consistência! Estava difícil entrarem no blogue, os oriundos da América do Sul.
Foi inacreditável o tempo que demorou, mais de 15 dias!
Mas já estão cá!

quinta-feira, abril 26, 2007

Quando?

Quando regressas à minha vida, arrastando para o lado o mobiliário que não te agrada, até encontrares lugar ao meu lado?

Lua é feita de queijo suíço

Após dias de intensa sondagem, chegamos à conclusão de que a Lua é feita de queijo suíço, tendo apenas um votante dito que é feita de queijo Mozzarela.
Provavelmente tal sentido de voto é do dono de uma pizzaria.
Então, anote-se: 5 votos em queijo suíço, um em mozzarela e nenhum em que a lua é uma tábua de queijos.

terça-feira, abril 24, 2007

Algo assim um pouco como que abstracto

Para não dizer que não posto nada hoje, venho postar um ALGO ainda que um pouco abstracto.

segunda-feira, abril 23, 2007

Livros e São Jorge

O certo é que fazer os portugueses ler é algo comparável a São Jorge matar um Dragão.
Acho que é por isso que o dia do Livro e o de São Jorge são festejados no mesmo dia.

Hoje II

Hoje é o dia de São Jorge.

Hoje I

Hoje é o dia do Livro.

sexta-feira, abril 20, 2007

Ir-me depressa e voltar na segunda

Infelizmente estou naquela fase do dia em que só quero que o fim de semana chegue.
Como eu queria ir já para o meu outro trabalho e encerrar depressa o dia, sem muitas complicações - o que parece ser impossível.

Tempo

O tempo é tramado, com todas as suas artimanhas para nos deixar para trás.

Free as a bird

Passou a figurar na "moldura" do meu blogue a capa de um grande disco dos Supertramp, que se chama "Free as a bird".
É este o espírito do espaço.

Cal - Fornia

Um norte-americano visitou o Suave Barulho!
Lá da California, a criatura!
Terá sido por causa do post das armas?

Esta é muito boa

Por que é que os jovens ouvem música e são loucos, enquanto os homens constroem bombas e são normais?
Tigui, in http://perguntaoutravez.blogspot.com/

quinta-feira, abril 19, 2007

Razões

Será do verão que começou a entrar pelas janelas e a mudar a temperatura do chão?

Do que será?

Gostava de saber qual é o aditivo que se toma e que permite trabalhar muito melhor nuns dias, enquanto há outros dias que nos julgamos uns imprestáveis e emprestáveis.
Hoje correu tudo fantasticamente bem.

"Qualificado"

Quase censurei o "qualificado" do outro post.
Não censurei porque não quero estar sempre censurando a escrita do meu sub-consciente.
Mas o melhor é ninguém ser precário.

O maior presente

O meu maior presente de aniversário, mas maior mesmo, acima de tudo o resto e todo o demais, será começar a ter um pouco de paz no trabalho, de segurança, de alegria, de auto-confiança, segurança. Quero pôr de lado esta insegurança. Quero trabalhar e pronto, dar o meu melhor, sem pensar no amanhã, se estarei aqui ou se não.
Parece que sou daqueles que precisa de sempre estar recebendo tapinhas nas costas.
Um conselho que dou a todas as entidades patronais: nunca, mas nunca, deixem no ar que um trabalhador qualificado é, ainda que de certa forma, precário, ou que está sempre na possibilidade de sair.
Dá mau resultado - pelo menos com um gajo como eu, que passei a estar num óptimo trabalho, cheio de desafios, bem pago, mas que insistem em fazer o discurso do que estamos aqui por pouco tempo - ainda que não seja verdade.

quarta-feira, abril 18, 2007

Aparência

É engraçado também que os meus colegas, de repente, devem pensar que eu deixei de escrever na net, no meu blogue.
De facto, o meu outro blogue está parado, mas a minha actividade blogal se desmultiplicou por 30. Fazia tempo que eu não escrevia tanto, que dizia tantos disparates juntos, que não dizia tudo o que me vinha à cabeça!
Tadinhos!
Tadinhos, tadinhos, tadinhos!
Ainda hoje ouvi: já não escreves no teu blogue?
A vida, a vida, infelizmente, é aparência e não essência!

Recta final

Está difícil, mas agora vai ser sempre a abrir na recta final!
Rumo ao êxito!

A, B, C, D

Coisas boas: hoje tenho um super desafio pela frente. Díficil, mas envolvente!
Aprendizado, Batalha, Conhecimento e Desafio!
É por isso que estou aqui.
Viva a motivação que surge como uma chave que dá força para abrir a porta do desconhecido.

(Falta de) solidariedade

É triste quando no trabalho notas que não usam da mesma solidariedade que usas em favor dos outros.
De repente, parece que não fazemos parte de um mesmo time e que está cada um para o seu lado. Isso me entristece mais do que qualquer erro técnico.
Mas que se lixe. Não darei importância à porcaria e me segurarei nas coisas boas.

terça-feira, abril 17, 2007

A espera desesperante

É sem dúvida uma espera desesperante o esperar que não se efectiva.
Nem quero pensar em passar por isso.

Todos - até os doidos americanos!

Em homenagem às 59 entradas, criei o espaço "todo o mundo no meu blogue" - que é um daqueles trecos do "Clustrmaps"!
Agora poderemos ver o sucesso mundial alcançado pelo http://suavebarulho.blogspot.com.

59

Para que conste: ontem o http://suavebarulho.blogspot.com - a Barulhada Severa - teve 59 entradas.
Nada mau!

Sangue e tiros

Matança entre estudantes nos Estados Unidos da América, de novo!
Não, não tem nada a ver com a questão das armas! Isso não está em discussão.
Foi o que disse lá um dos polícias, certamente formado em sociologia, antropologia e tudo o mais. Até diria mais: se há país civilizado este é os Estados Unidos.
Começa pelos "unidos". Unidos por uma guerra. Unidos pelo sangue e pelas armas (direito constitucional garantido e mais defendido do que a distribuição de riqueza, na América - e no mundo).

Retaguarda e só - melô do técnico

Correu bem.
São 10:40 e não estou na reunião que não queria estar.
Dei-lhe as ferramentas certas (espero que ela se entenda com elas) e não precisei ir.
Nunca nos entendemos no raio destas reuniões. Simplesmente não conseguimos trabalhar juntos.
Assim vai ela lá. E eu fico na retaguarda e só (aliás é este o meu papel).
Que bom.

segunda-feira, abril 16, 2007

Te ma (nda)

Como dizia o outro:
"De acordo com a temática do tema em questão...".
Ouvi esta pérola no fim-de-semana - tinha de guardá-la em algum lado.

Pensamentos

Os pensamentos vão e vêm.
Fazem curvas, algumas apertadas, outras menos.
Mas vão e vêm.
Mudam. Alteram-se. Consoante as mais diversas expectativas e espectros.
Só um ridículo fundamentalista radical não vê isso.

Raio de sol

Um raio de sol entra pela sala de trabalho.
Uma fuga?
Uma oportunidade?
Uma ameaça?
Seja o que for, é um raio de sol que entra pela sala de trabalho.

Discussão I: dizer e escutar.

Tudo o que eu não quero dizer, não é justo eu escutar.
Coloco à discussão.

Escrita sem complexos

Estou absolutamente encantado com toda esta capacidade de dinamização e participação que o meu blogue é agora capaz.
Os meus dedos e minha cabeça podem escrever tudo o que quiserem, sem se preocuparem com o que os meus ouvidos irão ter de ouvir depois.
Grande avanço, sem dúvida, para a minha liberdade pessoal.
Viva a boca, viva os dedos.
Os ouvidos ainda estão em descanso.

Vitória

Hoje, vários trabalhos se encarrilam, à espera de sua vez.
E irei vencê-los a todos.

Coração

Aqui estou eu, vivo após um fim-de-semana intenso.
Consegui ser quem sou, mesmo investido neste novo papel, em grandes responsabilidades.
Isso é muito importante - não ser actor, mas viver tudo com o coração.

sexta-feira, abril 13, 2007

NADA!

Bom, agora vou-me para um fim de semana que será super trabalhado.
Ainda tenho que preparar uma parafernália de coisas para dizer.
Que bom que estou aqui e que posso dizer que ainda NÃO PREPAREI NADA!
Mas vai correr bem, entendo dos assuntos. As pessoas nem vão notar.
Prepararei algo, com brevidade, e tudo dará certo.

Ir por aí

"Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar"

Cartola in http://caixadepandora31.blogspot.com/
Este blogue tem muita qualidade.
De facto, é o melhor do meu estudo recente sobre Caixas de Pandora.

Como eu

Esta semana vai ser pauleira!
Escrever me ajuda a relaxar, vou tentar dar o ar da graça com mais calma.

Denise in http://caixadepandora.wordpress.com/
Ontem eu teria escrito o mesmo post.

Fome de ti

As lembranças assaltam-me. A fome de ti também. Houve uma altura em que tinha pudor de me chegar perto de ti. Hoje quero que me sintas e me oiças gritar o teu nome na escuridão da distância. Quero colar-me à tua pele. Quero que anseies pelo toque que não chega. Como eu anseio.
Bárbara, in http://p-a-n-d-o-r-a.blogspot.com/
Dramático, hein?

Mázinha

Meninas boazinhas escrevem diários.
As más não têm tempo pra isso!!
In http://www.caixapandora.blogspot.com
Esta não escreve desde 11 de Janeiro de 2004.
Se converteu numa moça má.

Ato de amar

O ato de amar só pode ser desenvolvido com disciplina, humildade e coragem. Nós já nascemos sabendo amar, mas desaprendemos essa habilidade e por isso precisamos aprender a começar do zero todos os dias, como verdadeiros aprendizes do amor. É como respirar ­— ninguém precisa aprender a fazê-lo. Depois de tantas repressões, os “pulmões” do amor ficam atrofiados. Então precisamos aprender a amar novamente. E, para aprender a amar bem, precisamos de um trabalho cuidadoso e da consciência do quanto amamos mal.
Roberto Shinyashiki in http://www.caixadepandora.blogspot.com
Como é possível amar com disciplina, humildade e coragem?
Tenha dó Rober.

Tornado

Como me fizeste feliz no meio daquele tornado.
Lembro-me sempre de ti quando vejo Woody Allen - até está relacionado.

Séria alegria

Tiravas-me tantas vezes do sério que a minha vida era só alegria.

quinta-feira, abril 12, 2007

Solteirice

"Aticem as velas que lá vou de novo na solteirice!"
elisa lucinda, in http://www.caixapandora.blogger.com.br/

Viva a libArdade!

Vou indo para o trabalho. Certamente será um dos melhores dias de trabalho dos últimos tempos.
O dia 12 de Abril de 2007 fica para a história da minha liberdade pessoal, de meu reencontro com a escrita que flui e não julga nem condena.

Sucesso certo

Como se pode ver à direita, este blogue acabou de se dotar de todos os meios para ser um sucesso.
Tem um contador, tem um "I Power Blogger", tem o meu nick e umas mensagenzinhas vagas sobre o que quero para esta página.
Quem quiser ter direito a link, proponho uma troca: um link aqui por um link no seu blogue.
E aviso o seguinte: este blogue está votado ao sucesso.

Sem limites

É interessante deixar a cabeça trabalhar sem qualquer limite.
Basta ver os títulos dos últimos posts para se entender como ela se sentiu aliviada.
Acresce que o número de posts que consegui escrever em tão pouco tempo, demonstram a sede de escrita que sentia.
Sede de escrita despida de qualquer preocupação com os outros, sem qualquer pretensão de ser definitiva, criar doutrina ou opinião.
Livre.

Tudo o que quero

É engraçado pensar que agora já posso escrever tudo o que quero, rapidamente, sem muito o que pensar.
Que perspectiva tão nova.

Cessou o julgamento

Estou aqui para falar o que eu quero, sem ser julgado por ser quem sou.
Aqui só contam as palavras, que brotam destas letras, anónimas, falsas ou verdadeiras.
Este blogue é autónomo, independente, livre e sem sujeição a tribunas.
É um lugar onde encontro a paz e onde posso escrever o que penso em determinada altura, mas que posso não pensar daqui a uns tempos.

Basta de prisões abstractas

A coerência, a fidelidade e todos estes pesos.
Deixem-nos viver em justiça e pronto.
Chega de correias e correntes.

Livre

Este é o primeiro.
Que bom poder estar solto.